A ferramenta que você procurava para vender ainda mais

  (79) 3085-9590 (R. 8429)   contato@vfast.com.br

HomeConteúdo E-commerceNotíciasConheça a Mighty, plataforma onde crianças operam suas próprias lojas

Conheça a Mighty, plataforma onde crianças operam suas próprias lojas

Até que crianças atinjam certa idade, as oportunidades de ganhar dinheiro são praticamente inexistentes. Agora, a Mighty, startup sediada em Los Angeles, na Califórnia (EUA), pretende preencher parcialmente o vazio.

A Mighty, fundada por Ben Goldhirsh e Dana Mauriello, convida crianças a abrir uma loja online e espera atrair famílias com o argumento que opera no centro de fintech, tecnologia educacional e entretenimento.

A Mighty é uma plataforma de e-commerce onde crianças podem ser “CEOs”. Imagem: Reprodução

Segundo reportagem do TechCrunch, o conceito derivou da própria experiência dos fundadores. Goldhirsh, que mora na Costa Rica, começou a se preocupar com suas duas filhas, que frequentam uma pequena escola. Por temer que ficassem para trás em relação a seus colegas, ele começou a dar aulas para elas quando chegavam em casa, usando a Khan Academy, entre outras plataformas de software. No entanto, a reação das meninas não foi positiva.

Sem saber o que fazer, ele as incentivou a vender online as pulseiras que vinham fabricando, imaginando que isso lhes ensinaria as habilidades matemáticas necessárias, bem como sobre capital de inicialização, planos de negócios (ele as fez escrever um) e marketing.

A experiência funcionou e, enquanto contava aos amigos sobre esse “esforço de aprendizagem baseado em projetos” bem-sucedido, eles começaram a perguntar se ele poderia ajudar seus filhos a começar a trabalhar. Agora, já são cerca de 3.000 “CEOs mirins” na plataforma, como Mighty os chama.

Ainda de acordo com a publicação, a Mighty conseguiu um financiamento de US$ 6,5 milhões, em uma rodada inicial liderada pela Animo Ventures, com participação de Maveron, Humbition, Sesame Workshop, Collaborative Fund e NaHCO3.

Leia também: Magalu compra startup para otimização de conversão de vendas para e-commerce

Fonte: TechCrunch



Fonte feed: E-commerce Brasil