A ferramenta que você procurava para vender ainda mais

  (79) 3085-9590 (R. 8429)   contato@vfast.com.br

HomeConteúdo E-commerceNotíciasD2C para a indústria automotiva: unir on e off

D2C para a indústria automotiva: unir on e off

A mudança nos hábitos de consumo atinge todos os setores do mercado, mesmo aqueles que tradicionalmente possuem decisões de compra atrelados à experiência e contato físico. Assim, cada vez mais, a indústria quer vender direto em seu consumidor e as marcas buscam soluções para unir os ambientes on e offline, trabalhar os melhores canais e fazer uma estratégia integrada de venda.

O setor automotivo é um desses exemplos. Nesse caso particular, o consumidor de carros, acessórios e peças de veículos já é alguém que inicia sua compra no ambiente digital. De acordo com uma pesquisa do Google, mais de 95% dos consumidores buscam a internet como fonte de informação sobre um carro e 91% iniciam a jornada de compra por meio digital. O mesmo estudo indica que 41% dos entrevistados foram a uma concessionária apenas para confirmar a escolha feita na internet.

Esse dado é confirmado também por pesquisa da GFK, que mostra que 80% dos potenciais compradores de carros farão uma jornada de compra figital (física + digital). Para nível de comparação, em setores como o de eletroeletrônicos, esse número cai para 53%.

Logo, podemos dizer que há uma grande oportunidade nesse cenário para a indústria criar seus canais de venda próprios e estar bem posicionado nos espaços de venda online é essencial para se destacar.

Projeto sob medida

O setor automotivo é bastante complexo. Em sua estrutura há a indústria de autopeças, concessionárias, seguradoras, lojas de serviços automotivos, entre outros. Assim, quando uma marca decide vender diretamente ao seu consumidor, muita gente com perfil diferente pode chegar até a sua loja.

Uma maneira de contemplar toda essa cadeia de interessados é facilitar a jornada. É o que acontece no site da Goodyear, reconhecida fabricante de pneus, por exemplo. Em parceria com a Synapcom, líder em full commerce, a plataforma oferece uma usabilidade individualizada para tornar a navegação intuitiva e proporcionar uma boa experiência independente do público.

Então, caso o consumidor esteja buscando um pneu, ele pode, logo no início, indicar as especificidades do produto (se ele souber ou for um profissional da área) ou apenas entrar com as informações mais básicas como modelo, marca e ano do veículo (no caso de consumidores que não possuem conhecimento detalhado sobre seu veículo). Assim, tanto especialistas quanto leigos no assunto serão bem atendidos. Depois desse passo, ainda é possível agendar a instalação do pneu na loja mais próxima do consumidor, se esse for o desejo dele, ou marcar para retirar o produto.

Diversidade de negócios

Este é apenas um exemplo de como um projeto da indústria pode ser personalizado e atender bem seus diferentes consumidores. Mas, para entrar no e-commerce, sabemos que é necessário análise e pesquisa. Como dica, podemos dizer para começar conhecendo bem o ecossistema do seu segmento e identificar para quem você quer vender. Em um segundo momento, deve-se pensar se é um tipo de produto que exige instalação com um técnico ou se pode ser enviado para a casa das pessoas e aos poucos o escopo do projeto vai sendo desenhado.

Dependendo do escopo, outras soluções que podem ser oferecidas e analisadas são as possibilidades de unir canais de venda e marcar presença em marketplaces, aplicativos, programas de fidelidade, pop up store, além dos e-commerces oficiais das marcas.

Na Synapcom, a indústria pode ser acompanhada em todas essas etapas. Líder no modelo de full commerce no Brasil e na América Latina, a empresa desenvolve projetos de ponta a ponta para otimizar e viabilizar essas operações: do planejamento à gestão de canais, da escolha e operação da plataforma à integração do ecossistema digital, incluindo cadastro dos produtos, melhores práticas logísticas, SAC 4.0 e marketing digital. Atualmente, ajuda mais de 70 grandes empresas de diversos segmentos a vender direto para o consumidor.

Leia também: 73,4% dos empreendedores estão vendendo online na pandemia, revela Serasa Experian.



Fonte feed: E-commerce Brasil