A ferramenta que você procurava para vender ainda mais

  (79) 3085-9590 (R. 8429)   contato@vfast.com.br

HomeConteúdo E-commerceNotíciasPlataforma de e-commerce: 9 motivos para mudar

Plataforma de e-commerce: 9 motivos para mudar

Se a sua resposta para uma dessas perguntas for “sim”, está na hora de você procurar um novo fornecedor para seu sistema de vendas online.

Colocar um site de vendas no ar é simples. Mas ter uma plataforma de e-commerce que comunique corretamente o posicionamento da sua marca, integre todos os canais de venda, aumente suas vendas e gera fidelização vai muito além disso.

“Muitos varejistas acabam perdendo competitividade por não contarem com uma plataforma de e-commerce moderna, que responda aos desafios do mercado”, afirma Alessandro Gil, diretor executivo da Linx Digital. Se esse é seu caso, você deve estar convivendo com pelo menos um dos 9 problemas abaixo.

“Se sua resposta para uma das perguntas abaixo for “sim”, está na hora de você avaliar a troca de seu e-commerce por uma plataforma mais sólida, integrada e moderna”, comenta Gil. Dessa forma, você será capaz de se colocar em um novo patamar de performance e vendas.

1) Seu site tem uma baixa performance ou demora muito para carregar?

Os números mostram o tamanho do problema: segundo o Google, 53% das visitas a sites mobile são abandonadas quando uma página leva mais de três segundos para ser carregada. Sites lentos prejudicam a experiência de compra dos clientes e têm um grande impacto negativo não apenas sobre suas vendas online, mas também sobre a reputação da marca.

“Como a velocidade de carregamento de página é um dos fatores de ranqueamento em busca orgânica, sites lentos significam menos visibilidade para o seu negócio”, analisa o diretor executivo da Linx Digital. Embora seja possível (e desejável) tomar algumas ações imediatas, como otimizar as imagens do site e minimizar o uso de JavaScript, a plataforma de e-commerce tem uma grande importância nesse processo.

A recomendação é: busque uma plataforma que utilize recursos que agilizam o carregamento, otimizem o tamanho das imagens para cada dispositivo e usem Redes de Distribuição de Conteúdo (CDN) para melhorar a experiência de navegação online.

2) Você tem dificuldade em levar a identidade da loja para o online?

Diversas plataformas, especialmente aquelas menos sofisticadas, trabalham a partir de layouts padronizados. Com isso, sua loja online ficará muito parecida com a dos demais clientes do seu fornecedor, mesmo que atuem em segmentos completamente diferentes.

Como se não bastasse, o layout pouco customizável faz com que você precise adaptar a aparência da sua marca à funcionalidade do site, e não o contrário. “O ideal é contar com uma plataforma de e-commerce que tenha um CMS de alto nível e ofereça a possibilidade de customizar 100% do layout, com responsividade total. Dessa forma, você consegue levar a identidade da sua loja física para o online, em qualquer dispositivo”, diz Alessandro Gil.

3) Sua plataforma não permite a integração de canais?

Varejistas que não conseguem integrar lojas físicas e o e-commerce perdem competitividade. Além da dificuldade em acompanhar o cliente em toda a jornada de compras, a logística é prejudicada: a marca não consegue usar os estoques da loja como hubs de distribuição ou para retirada de pedidos online.

Sua plataforma de e-commerce precisa estar otimizada para a conversão e oferecer uma experiência de compras que contemple todas as possibilidades de uma operação omnicanal. “O varejo está cada vez mais integrado, e sua plataforma de e-commerce precisa permitir essa integração”, indica o executivo.

4) Integrar meios de pagamento e frete é muito complexo?

Essa é uma questão operacional que gera consequências importantes na experiência de compra do usuário. Em plataformas mais antigas, o carregamento do frete depende do upload de tabelas, em um processo manual sujeito a erros. Nessas plataformas, a integração de novos meios de pagamento também não é simples.

Cada vez mais, os meios de pagamento são uma parte importante da experiência de compra. “Viabilizar a possibilidade de pagamento com carteiras digitais, Pix e QR Codes é uma forma de aumentar a fidelidade do cliente, estimular a recorrência e ampliar as vendas”, afirma o diretor executivo da Linx Digital. Sua plataforma de e-commerce precisa permitir essas integrações sem dificuldade e com segurança.

5) Integrar o e-commerce ao ERP e outros sistemas é difícil?

Não deveria ser, mas é o que acaba acontecendo em plataformas defasadas. O problema não é somente o aumento da complexidade na gestão do e-commerce: aumentam também os riscos de haver alguma perda de informação, como o faturamento de um pedido ou a atualização da posição de estoque. “O impacto sobre a experiência de compra do cliente pode ser imenso, o que acaba afetando suas vendas”, explica Gil.

Busque uma plataforma de ecommerce que tenha integração nativa com os principais ERPs do mercado e seja baseada em APIs, o que facilita a conexão com sistemas externos.

6) Você tem dificuldade em vender em marketplaces?

Os marketplaces são um canal cada vez mais importante para as vendas online. Mas não basta estar integrado a uma plataforma: normalmente, melhores resultados vêm quando você está presente em vários marketplaces, com estratégias de atuação diferentes.

“Cada vez mais, os varejistas precisam estar plugados a uma plataforma que viabilize a venda em diversos marketplaces e faça a gestão dos pedidos e da publicidade em cada plataforma”, acredita Gil. Um hub de marketplaces entrega essa facilidade de vender nas principais plataformas do mercado com facilidade, expandindo suas estratégias de venda e seu faturamento.

7) Você sofre com baixa estabilidade ou problemas em momentos de pico de acessos?

Especialmente quando você realiza campanhas promocionais ou durante datas comemorativas, seu e-commerce precisa ter a capacidade de ampliar a capacidade de operação conforme a demanda. “A velocidade de carregamento das páginas e de processamento de pedidos tem que ser sempre excelente, independente de quantos usuários estejam em sua plataforma”, recomenda o executivo.

Contrate uma plataforma de e-commerce concebida para cloud, 100% preparada para suportar o aumento de tráfego, inclusive em momentos como a Black Friday e o Natal.

8) Você não consegue ir além do básico?

Muitas plataformas conseguem entregar as operações básicas do e-commerce, mas são muito rígidas quanto a parametrizações ou especificidades do negócio. “É a plataforma que tem que se adaptar ao que o varejista precisa, não o contrário”, diz Gil.

Busque uma plataforma de e-commerce que permita plugar facilmente outras soluções, como recomendações personalizadas e busca inteligente, ou soluções de retargeting. Em varejistas de ponta, o e-commerce é um viabilizador de oportunidades de relacionamento com o cliente, e não um simples catálogo digital de produtos.

9) Você utiliza muitos sistemas de fornecedores diferentes?

Lojistas com plataformas de e-commerce menos sofisticadas acabam tendo que contratar outros parceiros para desenvolver funcionalidades complementares. “Com o tempo, isso se torna uma colcha de retalhos, com uma malha complexa de integrações que toma bastante tempo do gestor de TI e está sujeita a falhas”, explica.

Para evitar esses problemas e ter um melhor desempenho de seu e-commerce, procure plataformas “one-stop shop”, que contam com uma grande diversidade de soluções complementares nativas. Dessa forma, você elimina a necessidade de integrações e aumenta a performance do negócio.

Ao migrar para uma plataforma de e-commerce que elimine esses 9 problemas, você melhora o desempenho da sua operação online, entrega uma melhor experiência para os clientes e, com isso, impulsiona suas vendas. A digitalização dos negócios faz com que os clientes estejam cada vez mais atentos à sua loja online. Por isso, ter uma operação de primeira linha é essencial para gerar mais fidelidade.

Leia também: Senadora pede revisão de compra da MGM pela Amazon nos EUA.



Fonte feed: E-commerce Brasil